Tipos de Anestesia

Qual o papel do anestesiologista na equipe?

O anestesiologista faz parte de uma equipe que está a sua disposição antes, durante e após a sua cirurgia. Para isso é preciso haver uma reciprocidade entre o paciente e a equipe de anestesiologia. É sabido que esta consulta reduz a ansiedade e as complicações que eventualmente ocorrem e muitos mitos da anestesiologia poderão ser desfeitos com esta conversa.

O anestesiologista precisa saber sobre todos os seus problemas de saúde, alergias, problemas familiares com anestesia, medicamentos que você utiliza. Inclusive medicamentos naturais, homeopáticos, caseiros, para emagrecer etc. Existem medicamentos que precisam ser suspensos para a cirurgia, outros devemos alterar a dosagem.

Todos os exames pré-operatórios devem ser vistos nesta consulta.

O anestesiologista deverá orientá-lo sobre os cuidados antes e após a sua cirurgia, explicará, também, como será efetuada a anestesia. Terá a oportunidade de solicitar mais exames quando julgar necessário, bem como prescrever um medicamento para ser dado antes da cirurgia, visando diminuir a sua ansiedade.

Antes de qualquer cirurgia é necessário colher uma lista de informações sobre sua saúde para ajudar a escolher o tipo adequado de anestesia. Esta lista deve incluir:

  • A sua história médica
  • Medicamentos e suplementos alimentares
  • Consumo de fumo e álcool
  • Alergias
  • A sua experiência anterior com anestesia
  • Membro da família com reações à anestesia
 

Por que é necessário o jejum?

Os alimentos que ingerimos, seja na forma líquida ou sólida, não entram na traquéia e nos pulmões quando estamos em condições normais; temos mecanismos de defesa. Na anestesia estes mecanismos estão bloqueados ou atenuados e, na ocorrência de vômito, o conteúdo do estômago poderá entrar nas vias respiratórias, provocando complicações graves. Por isso, você deverá seguir as recomendações do seu anestesiologista com relação ao jejum. Nas situações de emergência existem mecanismos que minimizarão estes riscos. Todavia, quando não há urgência, não vale a pena correr riscos.

 

Qual é a anestesia mais segura?

Todas são seguras, temos, sim, é que adequar a anestesia às condições clínicas do paciente e ao tipo de cirurgia a ser realizada. Atualmente, os procedimentos anestésicos são realizados sob vigilância constante do médico anestesiologista e é pouco provável a ocorrência de acidentes graves. Quando eles acontecem, usualmente são muito divulgados, o que causa certa apreensão nos pacientes.

 

O que o anestesiologista faz para a sua segurança durante a cirurgia?

Além de aplicar a anestesia ele avalia uma série de itens, tais como:

  • Nível de consciência;
  • Pressão arterial, frequência cardíaca, coloração da pele e mucosas, volume sanguíneo, níveis de oxigênio e gás carbônico no sangue;
  • Volume respiratório, frequência respiratória;
  • Temperatura;
  • Volume urinário;
  • Atividade muscular.
 

Quanto tempo dura a anestesia?

A anestesia dura o tempo que for necessário para a realização da cirurgia.

 

O que é a sala de recuperação?

É o local para onde o paciente vai logo após o término da cirurgia. O paciente vai ficar lá até o anestesiologista confirmar a estabilidade de sua circulação, respiração, nível de consciência e regressão da anestesia. Em seguida o paciente é encaminhado para o quarto onde ficará sob os cuidados da equipe de enfermagem e receberá a sua primeira dieta. O paciente será avaliado continuamente pela equipe anestésica e cirúrgica até à sua alta hospitalar.

 

Quando o paciente pode ser liberado para casa sem internação?

Os pacientes que foram submetidos a cirurgias em caráter ambulatorial, após passarem um período na sala de recuperação, poderão ser liberados sempre com um acompanhante responsável, que deverá receber todas as instruções. A indicação para a realização de procedimentos ambulatoriais tem normas próprias; nem todas as cirurgias podem ser realizadas desta forma.

 

Que tipos de reações podem aparecer após a anestesia?

São muitas as sensações que acompanham o despertar da anestesia como: frio intenso com tremores, enjoos, náuseas e vômitos e dor. Durante qualquer tipo de anestesia o corpo perde o controle da temperatura em maior ou menor grau, e ela passa a variar conforme a temperatura do ambiente; ao acordar, os tremores são produzidos pelo organismo para produzir calor, causando sensação desagradável, que pode ser minimizada com o uso de certas medicações. Enjoos, náuseas e vômitos variam muito, conforme o tipo de cirurgia e de anestesia. Atualmente, existem muitos medicamentos que podem ser utilizados sozinhos ou em conjunto, para um tratamento eficaz desses distúrbios. A dor também merece atenção especial no pós-operatório, usamos diversos medicamentos e técnicas de analgesia para o conforto dos pacientes nesse período.

Mesmo após a sua alta hospitalar, não deixe de consultar o nosso serviço de anestesiologia sobre eventuais dúvidas ou problemas que possam ocorrer. Estaremos sempre a sua disposição para ajudá-lo. Para isso trabalhamos em equipe.

Na anestesia geral o paciente é mantido inconsciente e imóvel durante todo o procedimento,com o uso de medicações venosas ou inalatórias.As medicações são administradas ao longo da cirurgia de acordo com a necessidade.

É uma técnica que evoluiu muito ao longo dos anos assim como toda a anestesia. As medicações utilizadas e a monitorização do paciente melhoraram de maneira significativa, tornando esta técnica anestésica tão segura quanto as demais. A redução dos efeitos colaterais das medicações tornou a recuperação pós anestésica desta técnica muito mais tranquila e confortável para o paciente.

 

Pode-se optar por realizar a anestesia geral nas seguintes cirurgias:

  • Mamoplastia com grandes reduções
  • Rinoplastia
  • Lifting cervical
  • Grandes lipoaspirações

Esse tipo de anestesia é feito através de punção na coluna para a aplicação de anestésicos próximo à medula espinhal. As diferenças entre elas são a quantidade de anestésico,o local da punção e o tipo de agulha utilizada. Essa anestesia proporciona que a aréa anestesiada fique totalmente livre de dor e pode ser associada a uma sedação para maior tranquilidade do paciente durante a cirurgia.

 

As Cirurgias mais realizadas com esta técnica são:

  • Lipoaspiração
  • Abdominoplastia
  • Prótese de Glúteo
  • Prótese de Panturrilha

Trata-se do uso da anestesia local, mas com a participação do médico anestesiologista que através do uso de medicações venosas ou inalatórias, promove a sedação do paciente durante todo o ato cirúrgico. Isso quer dizer que o paciente permanecerá dormindo, sem sentir dor e estará desperto ao final da cirurgia. A anestesia local é injetada após o começo da sedação e a maioria dos pacientes não se lembra da operação.

Nesse tipo de anestesia a paciente fica sob monitorização de seus dados vitais como tensão arterial, frequência cardíaca e oxigenação sanguínea.

Essa técnica hoje é utilizada para um número muito grande de cirurgias e além da segurança traz algumas vantagens como um tempo de recuperação pós anestésica mais curto e uma condição de alta mais precoce para o paciente.

 

Cirurgias que podem ser realizadas sob sedação:

  • Prótese de mama
  • Lipoaspirações muito localizadas
  • Blefaroplastia superior e inferior
  • Rinoplastia
  • Lifting cervical
  • Mamoplastias em que não serão feitas grandes reduções

É feita com o uso de anestésicos locais, como o a lidocaína, que são injetados na região a ser operada. A sua ação é imediata e após a sua aplicação à duração do efeito anestésico pode chegar até 2 horas.

Ela pode ser feita como anestesia isolada ou em conjunto com outra técnica anestésica.

Algumas cirurgias podem tranquilamente ser feitas com anestesia local:

  • Otoplastia (correção da orelha em abano)
  • Blefaroplastia superior (cirurgia da pálpebra superior)
  • Retirada de lesões de pele (cistos, sinais)
  • Correção de pequenas cicatrizes

Responsável técnico

Dr. Antonio Carmo Graziosi

CRM: 44292

Conheça sobre o dr.