Remoção de Quelóides

Os quelóides são cicatrizes patológicas, consequências de lesões de pele, incisões cirúrgicas, lacerações ou queimaduras. Eles podem aparecer em qualquer parte do corpo, mas são mais comuns sobre o esterno, nos lóbulos das orelhas e ombros.

Os quelóides podem resultar de inflamação após incisões cirúrgicas, perfurações de orelha, tatuagens, espinhas, pêlos encravados ou simplesmente a partir de uma batida em um objeto causando trauma.

Os quelóides se formam quando o corpo não consegue parar de criar colágeno durante a cicatrização. Normalmente, o corpo sabe quando parar este processo, mas algumas pessoas são geneticamente pré-dispostas ao crescimento queloideano, resultando em uma cicatriz que é espessa, elevada e extensa, ultrapassando todo o limite da lesão inicial.

Os quelóides podem coçar arder ou queimar se for grande o suficiente. Eles são muitas vezes vermelhos ou de cor mais escura do que a pele circundante. Normalmente as pessoas com pele mais escura, como a africana ou asiática, tendem a ser mais suscetíveis ao aparecimento, embora a tendência para desenvolver diminua com a idade.

 

Remoção de Quelóides

Existem várias opções empregues hoje com base na dimensão e localização do quelóide. Os tratamentos utilizados incluem:

  • Corticosteróide injetado diretamente no tecido, geralmente de 3 a 4 tratamentos, com 30 dias de intervalo, reduz um quelóide a uma cicatriz plana e reduz a vermelhidão, coceira e ardor.
  • A remoção cirúrgica é usada para formações mais amplas. A técnica pode empregar um bisturi, bisturi elétrico ou laser.

Tratamentos pós-cirúrgicos são muitas vezes utilizados para minimizar a recorrência quelóideana. Estes tratamentos incluem: curativos com folha de silicone aplicada diretamente sobre a pele ao redor da incisão; terapia de compressão que achata mecanicamente a formação de cicatriz.

Responsável técnico

Dr. Antonio Carmo Graziosi

CRM: 44292

Conheça sobre o dr.